Publicado em: segunda-feira, 03/03/2014

Governo federal confirma aumento no repasse líquido a médicos cubanos

Governo federal confirma aumento no repasse líquido a médicos cubanosO ministro da Saúde, Arthur Chioro, confirmou na última sexta-feira (28) que o salário líquido dos médicos cubanos que participam do programa Mais Médicos será elevado para US$ 1.245 – aproximadamente R$ 3.000. Atualmente o valor repassado é de US$ 1.000, ou cerca de R$ 2.350.

A retenção de valores pelo governo cubano também vai deixar de existir. Antes os médicos tinham acesso a apenas US$ 400 do total que recebiam. Agora o repasse é integral. O ministro disse que essas modificações não foram feitas pela pressão vinda da oposição e dos próprios médicos estrangeiros, mas sim por determinação da presidência da república.

Chioro afirmou que a negociação já estava em andamento antes de ele assumir o ministério, e que contou com o auxílio da Opas (Organização Panamericana de Saúde), responsável pela intermediação entre os governos de Brasil e Cuba. O representante da organização no Brasil, Joaquim Molina, afirmou que a dinâmica do programa exige ajustes, e que essa é uma movimentação normal.

Alto investimento brasileiro não reflete no bolso dos profissionais

O ministro da Saúde ainda garantiu que esse aumento no repasse aos médicos não significa despesas a mais para os cofres brasileiros, já que se trata apenas de uma alteração nos repasses realizados pelo governo cubano.

Cada médico vindo de Cuba tem um custo mensal ao Brasil de R$ 10 mil, que são repassados para a Opas e, posteriormente, ao Ministério da Saúde de Cuba. Durante o primeiro semestre do programa Mais Médicos, R$ 511 milhões foram repassados à Opas, que reteve 5% de taxas.

Esses detalhes sobre como funcionam os repasses aos médicos foram divulgados após a polêmica envolvendo a médica cubana Ramona Rodriguez, que abandonou o Mais Médicos por não aceitar a forma com que eram feitos os pagamentos. Até o momento, mais de 7.400 médicos cubanos já foram recrutados para o programa.