Publicado em: sexta-feira, 27/07/2012

Governo estuda acabar com IPI reduzido nos carros para evitar demissões

O Ministério da Fazendo autorizou a diminuição do IPI desde maio em pedido realizado pela ANFAVEA (associação dos fabricantes de veículos), para que as empresas envolvidas pudessesm incentivar as vendas e dar uma diminuída no estoque. A principal condição para que isso acontecesse era que os empregos fossem mantidos. Mas, essa proposta do governo está quase suspensa. A redução,que valeria até 31 de agosto, pode estar prejudicando as montadoras. O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo pediu a ajuda e a intervenção do Executivo para que sejam evitadas demissões em massa. Segundo eles, a montadora GM quer fechar a unidade localizada em São José dos Campos, o que acarretaria em cerca de 2.000 mil demissões. Para a presidenta Dilma, a proposta deve ser estudada e as demissões só serão aceitas se a empresa criar o mesmo número de vagas em outra fábrica. Ela ainda afirma que serão revistos os incentivos de todo o setor caso a montadora decida seguir em frente com as demissões.

Na próxima terça-feira, acontecerá uma reunião dos representantes da Anfavea e da GM com o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, para que as empresas possam dar maiores informações, já que também houveram reduções no quadro de funcionários no setor de fabricação de caminhões. A diretoria da empresa se comprometeu a não demitir até a próxima reunião, que ocorre em agosto.

Uma saída para a montadora seria utilizar o mesmo método da Mercedes : um sistema chamado “lay-off”. Quer dizer que a GM deve suspender os contratos de trabalho daqueles funcionários que estão correndo risco de serem demitidos. Isso significa que o funcionário fica suspenso de dois a cinco meses, participando de cursos ou de programas de qualificação e ainda integra o quadro de funcionários da empresa. Isso tudo está inserido na Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT. A resposta do acordo entre a montadora e o governo deverá ser divulgada no dia 4 de agosto, data da próxima reunião.