Publicado em: sábado, 15/10/2011

Governo está negociando com empresas a concessão de bolsas internacionais

Durante o programa “Bom Dia Ministro”, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, comentou que a presidente Dilma Rousseff está em processo de negociação junto com empresas a possível participação da iniciativa priva no programa Ciência Sem Fronteiras. O programa deve proporcionar 100 mil bolsas de estudo em diversos países.

O governo é responsável por fazer a concessão de 75 mil bolsas e o restante deve ser custeado por empresas particulares. O Ciência Sem Fronteiras possui um orçamento estipulado em R$ 3 bilhões.

De acordo com o ministro, algumas empresas brasileiras como a Petrobras e Vale e também instituições como a Federação Brasileira de Bancos (Fenebran) e a Confederação nacional da Indústria (CNI) devem ser algumas das possíveis parceiras do programa.

“A presidenta tem conversado com várias lideranças empresariais, para que as empresas cheguem a 100 mil bolsas, ou seja, que 25 mil bolsas sejam ofertadas pelas empresas. […] Inclusive empresas internacionais estão entrando fortemente no programa, ajudando a pagar as taxas no exterior, oferecendo estágio para os alunos. Então nós vamos divulgar no momento oportuno tudo que nós alcançamos também com a participação da iniciativa privada”, afirmou Mercadante.

Segundo o ministro, o programa de bolsas no exterior deve ajudar a educação brasileiras e também impulsionar o crescimento do Brasil. “Eu diria que isso é investimento no futuro. […] Nós precisamos avançar em direção à sociedade do conhecimento, nós precisamos olhar para o setor da economia portador de futuro. […] Essa formação dessa inteligência de internacionalizar a pesquisa, a ciência brasileira vai ajudar o Brasil a se preparar para a economia do conhecimento”, comentou.