Publicado em: terça-feira, 17/07/2012

Governo deve lançar programa de prevenção às tragédias provocadas por desastres naturais

O governo está criando um plano nacional para prevenir a sociedade dos desastres naturais. Esse plano está sendo discutido com os estados e deve ser lançado em greve. Neste momento, o governo está ouvindo as demandas dos estados. Ontem Fo a vez do governo do Rio de Janeiro apresentar as suas demandas. Sérgio Cabral, governador do estado, apresentou ao governo federal um levantamento sobre os problemas que atingiram a região fluminense nos últimos anos, como os casos de enchentes e desabamentos que ocorreram em diversas cidades. Esse plano fará parte dos programas pertencentes ao PAC e será direcionado para prevenção de tragédias. O objetivo é reforçar as ações preventivas em regiões onde os problemas são recorrentes em épocas de chuva constante. Segundo anúncio do governo, o programa deve incluir ações como melhoria nos sistema de alerta, proteção das encostas e também a drenagem nos rios, além da construção de casas dentro do programa “Minha Casa, Minha Vida” para os desabrigados em casos de desabamento ou enchentes com destruição das moradias das famílias.

Estados têm até hoje para apresentar suas demandas

Ontem o governador do Rio de Janeiro se reuniu com ministros para resolver as demandas da região do Rio. A reunião contou com a presença da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Também estiveram presentes o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro e também da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage. Os demais estados que sofrem com problemas das enchentes têm até hoje, terça-feira, dia 17 de julho, para apresentarem suas demandas.

Cabral disse que é preciso investir na prevenção, pois no caso do Ri de Janeiro essas ações foram importantes para evitar muitas tragédias. Segundo ele, onde havia obras do PAC 1, não foram constatados problemas com as chuvas. Ainda não foram adiantados os valores que serão repassados aos estados para conter as tragédias já que ao assunto ainda está em discussão.