Publicado em: terça-feira, 20/12/2011

Governo deve investir R$ 3,2 bilhões em bolsas de estudo no exterior

A presidente Dilma Rousseff afirmou no seu programa de rádio semana “Café com a presidenta”, nesta segunda-feira (19), que o programa Ciências sem Fronteiras deve receber investimentos de R$ 3,2 bilhões até 2014. O programa deve ofertar 77 mil bolsas de ensino superior em diversas universidades internacionais.

“Abrimos, em dezembro, inscrições para selecionar 12.500 jovens brasileiros dos cursos de graduação, que vão estudar durante um ano e meio em universidades dos Estados Unidos, Alemanha, Itália, Reino Unido ou França. Para os Estados Unidos, serão 4.500. Para a Alemanha, 2.500. Para a França, 1.500. E para o Reino Unido, 2.500. Já para a Itália, serão 1.500 bolsas”, explicou Dilma.

De acordo com a presidente, as inscrições para os interessados continuam até o mês de fevereiro. “No dia 2 de janeiro vamos abrir mais 500 vagas para o Canadá. Em fevereiro, faremos outra chamada, desta vez para universidades na Holanda, Bélgica, Espanha, Portugal, Coreia e Suécia”, disse.

Como a presidente havia comentado no lançamento do Ciências sem Fronteiras, o programa tem como objetivo focar a educação em áreas específicas do conhecimento e da pesquisa. “A necessidade mais urgente do nosso mercado de trabalho é ampliar a formação na área de engenharias, ciências exatas, ciências médicas e tecnologia de informação. Tenho a certeza de que depois desses 101 mil estudantes ou mais, que vamos selecionar até 2014, virão mais outros milhares. Eles vão estudar lá fora e, depois, com os conhecimentos científicos, serão cada vez mais capazes de ajudar o Brasil a ganhar mais produtividade e competitividade”.

O dinheiro investido também será utilizado para bolsas de pós-graduação, como mestrado, doutorado e pós-doutorado. Segundo Dilma, estas vagas estarão abertas de forma permanente e também devem atrair pesquisadores estrangeiros para atuarem e realizarem suas pesquisas dentro do Brasil.