Publicado em: terça-feira, 10/04/2012

Governo da Espanha redefine gastos para reduzir o déficit

O governo da Espanha irá revisar a política de gastos de todas as comunidades autônomas, especialmente nas áreas de educação e saúde, com a intenção de conseguir diminuir o déficit público. Ontem, segunda feira (09), o governo chegou a anunciar que pode ocorrer uma possível alteração das rendas mais altas destas áreas.

Diante desta nova situação, uma crise na confiança dos mercados e o receio dos vizinhos da Europa, os gestores de Madrid têm multiplicado as propostas para se assegure que a Espanha conseguirá cumprir as metas de redução a aproximadamente 5%, ainda este ano, contra os quase 4,5% previstos anteriormente.

Cristóbal Montoro, o ministro espanhol da Fazenda e Administração Pública, declarou para a imprensa que o país vive um momento em que é preciso aumentar a imagem de confiabilidade do país perante os credores e sócios europeus. De acordo com ele é preciso ainda redefinir os serviços públicos que devem ser prestados nas áreas de educação, benefícios sociais e saúde.

Mudanças estruturais

Já o ministro da economia, Luis de Guindos, declarou a uma rádio espanhola que no caso das despesas com saúde foram acumuladas dívidas de mais de 15 bilhões de euros, lembrando que isso não poderá acontecer novamente. Ele ainda destacou que a reforma é imprescindível por este motivo, para que seja possível eliminar gastos desnecessários.

Com a consideração de que o sistema de co-pagamento, sendo altamente combatido pela oposição política do país, não está completamente perdido. O ministro da economia se referiu a possibilidade de aumentar a participação dos mais bem providos nos gastos com a área de saúde.
Apesar da grande necessidade, nenhum dos dois ministros soube precisar qual é a estratégia exata do governo. De Guindos ainda frisou que ninguém está propondo que os serviços sejam re centralizados, mas querem encontrar uma forma sustentável de manter os serviços.