Publicado em: terça-feira, 30/08/2011

Governo da Argélia dá asilo à mulher e três filhos do ditador líbio Muammar Kadafi

A família de Muammar Kadafi, ditador líbio que está sendo procurado por autoridades locais e internacionais, obteve passe livre para entrar na Argélia pela fronteira que o país faz com a própria Líbia. De acordo com informações fornecidas pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Argélia, a mulher de Kadafi, Safia, sua única filha, Aisha, e seus dois filhos, Mohammed e Hannibal. Este seria o ramo vinculado ao ditador menos ligado com a política.

De acordo com o governo da Argélia, o Conselho Nacional de Transição, formado por rebeldes líbios, e o Conselho de Segurança da ONU foram informados que a família foi recebida no país no momento em que a decisão foi tomada. Ao mesmo tempo em que o governo argelino não informou se Kadafi viajou junto com a família ou não, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, declarou que não há registros provando que o ditador tenha deixado seu país.

Com a notícia do abrigo concedido à família de Kadafi, parte dos rebeldes reagiu de maneira mais drástica, exigindo que o governo devolva a família e que tal abrigo é “um ato de agressão, enquanto outra parte afirma que não ficou supresa com a receptividade da Argélia.

De acordo com o porta-voz militar da CNT, Ahmed Bani, a Argélia estava sob suspeitas de ter auxiliado aqueles ainda em apoio ao Kadafi depois das manifestações terem começado. Além disso, o país ainda não reconheceu a legitimidade do Conselho sendo que todos os outros vizinhos do norte da África já o fizeram.