Publicado em: quarta-feira, 27/06/2012

Governo anuncia investimento de R$ 8 bilhões para PAC Equipamentos

Com o objetivo de melhorar a economia do país e melhorar a economia, o governo anunciou na manha de hoje, dia 27 de junho, mais investimentos vinculados ao Programa de Aceleração do Crescimento, mais especificamente para o PAC Equipamentos. O governo federal pretende oferecer ao programa aproximadamente R$ 8,4 bilhões. A tentativa é de acelerar a compra de produtos nacionais e, com isso, aumentar a produtividade da indústria nacional. Com essa aceleração a economia teria um revigoramento no próximo semestre, contribuindo para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB). Esta medida faz parte da série de ações organizadas pelo governo para tentar evitar a queda do PIB. A última pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central, mostrou que os analistas não estão otimistas e apresentaram um resultado negativo do PIB pela sétima semana consecutiva. Em função disso, o governo federal resolveu colocar em prática mais uma ação. Essa é uma medida considerada importante perante a crise internacional.

Investimentos estão agendados para várias áreas

O dinheiro anunciado pelo governo hoje será investido em diversas áreas. Pode-se destacar, entre elas a saúde, educação, defesa e agricultura. O objetivo é que seja feita a compra de veículos como, por exemplo, retroescavadeiras, ônibus escolares, ambulâncias, motocicletas e veículos blindados para ações da polícia militar. Segundo dados do governo, cerca de 80 itens da lista serão adquiridos no país e com valor 25% mais elevados que de seus concorrentes. O objetivo é que os veículos adquiridos sejam produzidos em território nacional.

Área da saúde também terá financiamento do BNDES

Na área da saúde também será investido em equipamentos para exames como tomógrafos e aparelhos de hemodiálise. Os equipamentos podem ser comprados até 2017. Além desse valor, também será oferecido financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Esse dinheiro poderá ser usado para compra de equipamentos médicos. Neste caso, pelo menos 60% dos equipamentos devem ser comprados no país.