Publicado em: sexta-feira, 01/08/2014

Google remove parte dos links que europeus solicitaram pelo ‘direito de ser esquecido’

Google remove parte dos links que europeus solicitaram pelo ‘direito de ser esquecido’Levando em consideração o pedido de muitos europeus, ontem, quinta-feira (31), o Google excluiu grande parte dos links que eles mesmos pediam para ser removidos mediante ao argumento de fazer valer o “direito de ser esquecido”, válido desde maio na União Europeia. No dia 13 de maio, a Corte Europeia de Justiça tomou uma decisão que passaria a favorecer pessoas que se sentissem incomodadas com qualquer tipo de informação vista na internet, em qualquer circunstância, até em ferramentas de busca, ela tem o “direito ao esquecimento”.

De acordo com as informações que estão inseridas na carta que foi assinada por Peter Fleischer, diretor do Google – trata de questões de privacidade e responde a 26 questões referente ao assunto. A carta é enviada a um grupo de proteção de dados. Fazendo uma análise dos dados totais de URL’s, 53% delas foram excluídas.

Informações completas

Ainda um terço dos links estava acessível no ar até a presente data, mas para que esse conjunto dos 15% dos links que sobraram saíssem do ar, os interessados precisam enviar informações mais concretas e detalhadas ao Google. Segundo a plataforma, até o dia 18 de julho, foram solicitados uma média de 91 mil pedidos para a remoção de conteúdos em geral, o que totalizou o equivalente a 328 mil links ao todo. Agora, para que isso seja realizado, os requerentes precisarão preencher um formulário pedido que seja feita a remoção, ele poderá ser encontrado em 25 línguas diferentes.

Também é imprescindível que o cidadão que quer fazer a reclamação, seja de um país que faça parte da União Europeia – onde a lei é válida – e informe o motivo da reclamação se identifique, assim como, comprove sua identidade. Na carta assinada pelo diretor do Google, foi informado que os países que mais solicitaram a remoção foram: França liderando com 17,5 mil pedidos (58 mil links), logo atrás Alemanha, com 16,5 mil (57 mil links ao todo) e por último Reino Unido, com 12 mil solicitações (44 mil links).