Publicado em: segunda-feira, 27/02/2012

Google prepara tablet para concorrer com iPad

O Google está se preparando para produzir um tablet de 7 polegadas de sua própria marca. A produção deve começar apenas em abril, com lançamento previsto para metade de 2012. A afirmação é Richard Shim, analista de mercado da empresa DisplaySearch.

O analista Shim afirma que o Google estaria planejando a produção de um lote inicial entre 1,5 milhão e 2 milhões de unidades. A informação de que o Google possui um tablet em desenvolvimento já era conhecida. Em dezembro do ano passado, o chairman da empresa, Eric Schmidt, confirmou a informação. “Nos próximos seis meses, vamos pôr no mercado um tablet de altíssima qualidade”, afirmou ele. Schmidt não ofereceu muitos detalhes e a empresa também se recusou a oferecer outras informações.

O noticiário de Taiwan, DigiTimes, anunciou em janeiro que o tablet do Google irá custar 199 dólares nos Estados Unidos. O valor é mesmo do Kindle Fire, da Amazon, representando também apenas 40% do que custa o iPad mais barato. O aparelho irá rodar o sistema Android 4.0, mais conhecido como Ice Cream Sandwich.

Outras especificações

A empresa já possui uma linha de smartphones Nexus, produzida e vendida numa parceira com HTC e Samsung. A produção de um tablet é o próximo passo natural. Além disso, a compra da Motorola Mobility em 2011 indica que o Google pretende expandir os negócios na área de hardware. A Motorola já possui seus próprios tablets da linha Xoom, com opções de tela de 8,5 e 10,1 polegadas. Esses aparelhos tem tentado competir com o tablete da Apple, com preço similar ao do iPad.

Ao contrário da Motorola, a Amazon foi mais bem sucedida com o Kindle Fire, oferecido pelo valor de 199 dólares nos Estados Unidos. Não foram divulgados números oficiais, mas acredita-se que a empresa tenha vendido em apenas um mês e meio cerca de 5,5 milhões de unidades do aparelho.

A estratégia da Amazon foi produzir um tablet tão simplificado quanto possível, porém, sem abrir mão de alguns itens essenciais como um processar potente e tela de qualidade. O Kindle Fire oferece acesso a serviços e lojas online da empresa, lucrando com a venda desses serviços, livros, filmes, músicas e aplicativos. Possibilitando, dessa forma, a venda de um aparelho barato. A expectativa é que o Google esteja planejando um modelo de negócios parecido com esse.

Em pouco tempo, a Amazon tornou-se a segunda maior fornecedora de tablets em todo o mundo, mesmo oferecendo este produto apenas no mercado americano. O não oficial “Nexus Tablet” do Google pode ser um forte concorrente para o Kindle Fire. Shim afirma que uma das vantagens em relação ao Kindle seria a tela com maior resolução.