Publicado em: sábado, 12/11/2011

Google+ não é uma rede social, afirma chefe de negócios do Google

O chefe de negócios do Google, Nikesh Arora, afirmou em entrevista ao jornal The Telegraph que a ferramenta Google+, mais novo lançamento da empresa, não é uma rede social. A afirmação vai contra o que a maioria dos usuários acredita que seja esse recurso, pois seu uso vem sendo comparado com o Facebook, rede social de Mark Zuckerberg, cujo objetivo é diferente do Google+, segundo Arora.

“O Google+ é uma plataforma que permite incorporar elementos sociais a todos os serviços e produtos que oferecemos. Nós embarcamos o YouTube dentro dele; existe também uma conexão direta com nosso serviço de buscas. Estamos nos esforçando para levar esses elementos a todos os nossos produtos. Não se trata apenas de reunir pessoas em um site e chamá-lo de rede social,” declarou Arora ao jornal inglês. A partir disso, pode-se entender que o Google+ seria uma evolução dos serviços Wave e o Buzz, que já foram cancelados pelo Google.

Ao mesmo tempo em que considera a função do Google+ diferente daquela normalmente imaginada para as redes sociais, Arora defende que em alguns pontos a sua ferramenta compete com o Facebook. Fazer com que o Google+ seja considerado um sucesso para a empresa é um dos principais objetivos previstos para 2011.

Em comunicado enviado aos funcionários do Google por Larry Page, o executivo informou que as bonificações podem variar até 25% para mais ou para menos dependendo de como se “desenvolver a estratégia de integração de relacionamentos, compartilhamento e identidade por meio de nossos produtos”.