Publicado em: domingo, 04/05/2014

Google, Facebook e Apple desejam realizar mudanças em sua política de privacidade

Google, Facebook e Apple desejam realizar mudanças em sua política de privacidadeCom toda a crise gerada em torno de o governo Americano requerer dados pessoais das pessoas que se utilizam dos serviços contidos na internet, as empresas Google, Facebook e Apple desejam realizar mudanças nas políticas de privacidade correspondentes, para que as pessoas possam ter um controle maior sobre suas informações e sobre como estas são utilizadas, quando armazenadas nos bancos de dados dessas empresas em questão.

As mudanças funcionariam como um alarme para os usuários, sendo assim caso o governo exija alguma informação de um ou mais usuários, existiram mecanismos capazes de avisar a este quando esses dados fossem solicitados e por quem foram solicitados.

As empresas parecem não se importar com as considerações do governo que diz que a análise e coleta desses dados se fazem importantes para que sejam evitados crimes ou outras situações que comprometam a segurança das pessoas, as ações de coleta de dados pelo governo não era divulgada, com essa mudança os usuários passarão a serem comunicados sobre a utilização de seus dados, no caso dos Estados Unidos isso não muda muito, já que os casos que se encontram em julgamento terão de permanecer sob total sigilo.

Para o Brasil, que teve sancionado há pouco o Marco Civil da Internet, essas informações sobre as pesquisas e sites de navegação das pessoas só ficam disponíveis ao longo de um ano, após isso não mais, além disso os dados referentes a esses usuários só podem ser verificados com uma ordem judicial.

Vale lembrar que as discussões sobre privacidade de dados foi alvo de muitas discussões e ganharam o mundo quando houve a denúncia de que o presidente dos Estados Unidos Barack Obama estaria espionando dados do governo brasileiro, inclusive dados pessoais da presidente Dilma Rousseff, com a repercussão do caso muitas empresas que tem prestação de serviços online passaram a pensar sobre como proteger os dados de seus usuários dessas práticas.