Publicado em: sexta-feira, 09/11/2012

Google disponibiliza internet móvel e gratuita para países em desenvolvimento

Google disponibiliza internet móvel e gratuita para países em desenvolvimentoNesta quinta-feira (8) o Google fez o lançamento de um serviço que garante o acesso para a internet móvel para pessoas com celulares mais simples em países que estão em desenvolvimento.

O serviço denominado de Zona Livre (Free Zone em inglês) começará nas Filipinas, em uma parceria entre o Google e a operadora de telefonia móvel Globe Telecom daquele país. O serviço permitirá que aparelhos com uma conexão a rede mundial de computadores e que tenham poucas funcionalidades na rede, acessem gratuitamente aos serviços da empresa, como buscas, o Gmail, além da rede social Google+.

Os internautas irão poder acessar os sites que apareçam nos resultados presentes na busca de maneira gratuita, porém outros sites que não estiverem dentre os resultados iria assinar um convite para que um plano da operadora sobre dados seja assinado.

Abdel Karim Mardini, gerente de produtos do Google, disse que a empresa tem o objetivo de atingir um bilhão de internautas que não utilizam a Internet e que estão em países emergentes, não tem computador e terão acesso à Internet em celulares, pois não tem acesso a computadores.

Tanto Google quanto Globe têm a expcetativa que, por oferecerem serviços de maneira gratuita, possam atrair usuários que tem celulares de segunda qualidade e fazer com que eles utilizem os aparelhos para outras atividades, além de enviar mensagens de texto e fazer ligações, e fazer com que eles assinem os serviços de Internet.

Esses serviços são os que mais geram lucros para operadoras. Já o Google tem grande parte do faturamento vinculando anúncios nos resultados das buscas. O Google informou ainda que pretenderá disponibilizar em breve este serviço em outros países.

Mesmo que países que estão em desenvolvimento venham utilizando os celulares de maneira entusiástica, como nas Filipinas, ainda há usuários que tenham celulares muito básicos para que possam acessar à Internet, ou que não queiram pagar para utilizar os serviços mais custosos. Os celulares inteligentes no país tiveram venda três vezes maior nos últimos 12 meses, até setembro, porém mesmo com este avanço, os smartphones correspondem a apenas 24% dos aparelhos nas Filipinas.