Publicado em: terça-feira, 09/07/2013

Google corrige falha que atingia 99% dos Androids

Google corrige falha que atingia 99% dos AndroidsA falha no sistema operacional poderia tornar o aparelho vulnerável para ataques de criminosos online. O defeito vinha desde a edição 1.6 Donut. Na brecha, o pacote de desenvolvimento de aplicativos (APK) poderia ser modificado sem grandes dificuldades, mantendo o assinatura do Google, isentando a culpa de quem modificava os códigos com finalidades maliciosas. Agora, a correção está sendo disponibilizada para os fabricantes dos smartphones.

Talvez por isso a instalação de aplicativos com vírus – que detonam com a bateria do smartphone – e trojans – que podem espiar seus dados, tenha se alastrado tanto nesses últimos anos. Não é raro ouvir histórias de amigos que baixavam aplicativos legais e úteis, mas, sem querer, acabavam instalando arquivos maliciosos.

Os funcionários da Bluebox são os responsáveis pela descoberta da falha no sistema da Android. Na semana passada, a divulgação foi repassada para a imprensa, público e para o Google. Os hackers, na pior das hipóteses, poderiam assumir o controle do aparelho celular, gravar imagens, tirar fotos, espionar ligações, roubar dados sigilosos, entre outras prática criminosas.

O Google se defendeu dizendo que os usuários devem ter critério e cuidado ao selecionar um programa para download. Ainda assim, a empresa se prontificou em corrigir o sistema. A correção identifica quais os aplicativos são originalmente assinados pela companhia e que não oferecem riscos ao aparelho e ao usuário. De acordo com o gerente de comunicações do Android, Gina Scigliano, a atualização é gratuita, mas ainda não está disponível para download.

Ao que tudo indica, os usuários receberam informações dos fabricantes que operam com o sistema Android. A demora para que o sistema possa ser atualizado e livrar os consumidores dos riscos tem irritado os usuários. Entretanto, segundo Scigliano, todos os aplicativos do Google Play foram vistoriados e ele assegura que o sistema online está livre de pragas cibernéticas.