Publicado em: terça-feira, 25/02/2014

Google apóia marco civil da internet, mas resiste em instalar “datacenter”

Google apóia marco civil da internetO impasse no Marco Civil da Internet não existe apenas no Congresso Nacional, desde o último domingo (23), o Brasil conta com o apoio do presidente da filial brasileira do Google para sair do papel, no entanto, de acordo com o ministro das comunicações, Paulo Bernardo, um dos maiores obstáculos está na construção de um datacenter local, o qual obrigaria a empresa a armazenar os dados no país e não enviá-los aos Estados Unidos.

Paulo Bernardo revelou que a conversa entre o Governo Federal e a empresa foi bastante seca no que diz respeito ao armazenamento de informações, e acredita que será difícil fazer com que ela ceda às pressões do Brasil.

O investimento, segundo o ministro, é alto, mas certamente o Google Brasil teria dinheiro para bancar o projeto, mas não vê muito interesse por parte da empresa em querer cooperar.

O Marco Civil tramita no Congresso há anos, mas ganhou força após as denuncias de que o Brasil estava sendo espionado pelos Estados Unidos. O projeto estabelece algumas leis que funcionariam como uma espécie de “Constituição da Internet” e, segundo o governo, iria trazer mais conforto e segurança aos brasileiros.

O usuário passará o ter o direito à privacidade assegurado por lei, tal como o sigilo, manutenção da qualidade de internet e planos mais acessíveis. Além disso, garantirá ao brasileiro maior segurança ao utilizar um computador.

Bernardo sugeriu ao Google que utilizasse os balões que sobrevoam a Amazônia para levar internet às pessoas da região, e a equipe da filial brasileira pediu para que o ministro dissesse isso aos acionistas norte-americanos.

Paulo Bernardo assumiu que o projeto possui algumas divergências, mas que a partir dos próximos dias, a presidente Dilma Rousseff pedirá que o projeto seja votado com urgência e aprovado pelos parlamentares em um prazo de 45 dias.