Publicado em: sábado, 10/03/2012

Google afirma que Ecad não pode cobrar de blogs

Nesta sexta-feira (9), o Google divulgou uma nota em que afirma que o acordo firmado entre a companhia e o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) não autoriza que o órgão cobre de terceiros pelos vídeos que são publicados no YouTube.

Na quarta-feira, o Ecad disse que possui o direito leal de cobrar taxas dos blogs que fazem uso das gravações que são postados no site de compartilhamento de vídeos do Google.

Marcel Leonardi, diretor de políticas públicas e relações Governamentais do Google Brasil, afirmou, em uma nota no blog da empresa, que o Google está surpreso com as declarações do Ecad sobre uma possível “cobrança direta a usuários da ferramenta de inserção (‘embed’) do YouTube. Esta ferramenta permite que as gravações sejam postadas em outras páginas e blogs. Desta forma, os vídeos não precisam ser visualizados através do YouTube.

Acordo não permite cobrança

Segundo Leonardi, o Google e o Ecad possui um acordo, porém, ele afirma que, durante as negociações, a companhia teve “um enorme cuidado para assegurar que nossos usuários poderiam inserir vídeos em seus sites sem interferência ou intimidações por porte do Ecad”. Leonardi diz ainda que conhece a função do órgão no território brasileiro, porém, o acordo não autoriza a cobrança dos usuários.

Leonardi afirma que a cobrança é ilegal porque os sites não “hospedam ou retransmitem” os conteúdos dos vídeos quando associam uma gravação do site em suas páginas. O representante do Google escreve no comunicado que espera “que o Ecad pare com essa conduta e retire suas reclamações contra os usuários que inserem vídeos do YouTube em seus sites ou blogs”.