Publicado em: sábado, 14/04/2012

Golpe militar é condenado por Conselho de Segurança

Golpe militar é condenado por Conselho de SegurançaNa tarde de ontem, sexta feira (13), o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou a ocorrência de um golpe militar responsável por derrubar o governo na Guiné Bissau, insistindo ainda para que os rebeldes soltem, de imediato, o premiê Carlos Gomes Júnior, juntamente com o presidente interino, Raimundo Pereira.

A embaixadora Susan Rice, dos Estados Unidos, país que preside o órgão atualmente, declarou que os membros do Conselho estão condenando a ação militar, solicitando imediatamente a restauração da autoridade civil. No final do ano passado, os rebeldes já haviam feito uma tentativa de golpe, mas fracassam ao tentar aproveitar a oportunidade em que o presidente na época, Malam Bacai Sanhá, estava em coma devido a grave doença.

Em 2009, Sanhá havia assumido o cargo devido o assassinato de seu antecessor. Com a morte de Sanhá em janeiro deste ano, foi necessária a convocação de eleições em caráter especial. No próximo dia 29 de abril deveria acontecer o segundo turno do pleito.

O candidato favorito para assumir a presidência era Gomes. A casa do candidato foi atacada com explosivos, tendo a prisão anunciada por um porta-voz dos militares logo sem seguida. Na posição de premiê, Gomes estava tentando colocar em prática uma política que objetivava diminuir o poder dos militares nos cargos de comando.

Rebeldes

Num comunicado liberado no final da semana, os rebeldes militares declaram que o golpe aconteceu depois de Gomes, supostamente, ter negociado a entrada de militares da Angola, com o objetivo de atacar as forças armadas do país. Essa informação continua sem ser confirmada.

Analistas acreditam que os militares teriam se envolvido com a prática do tráfico de drogas, temendo que uma intervenção internacional acabasse com a prática. As ilhas do país acabam sendo usadas como entreposto da rota internacional do tráfico de cocaína, tanto para Europa quanto para América Latina.

Na noite de quinta feira o golpe foi iniciado, com a rádio estatal saindo do ar e o centro da capital sendo bombardeado. Pouco tempo depois, os militares rebeldes já estavam dominando. Já na tarde de sexta, os militares anunciaram a prisão do presidente e do premiê.

De acordo com o Conselho de Segurança, ainda não se sabe exatamente a localização dos reféns. A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deve se reunir em caráter de emergência ainda hoje em Lisboa para discutir o golpe.