Publicado em: domingo, 05/08/2012

GM e sindicato fecham acordo para evitar demissões em São José dos Campos

Em uma reunião que teve mais de nove horas de duração na noite de sábado, 4 de agosto, os sindicalistas e os representantes da General Motors chegaram a um acordo para que a empresa não faça uma demissão em massa na unidade de fabricação instalada na cidade de São José dos Campos, no interior paulista. No entanto, 940 operários terão que ficar afastados do trabalho temporariamente.

O acordo feito pelos sindicalistas e pela GM terá um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para todos aqueles operários que trabalham na unidade de São José dos Campos. A GM anunciou que irá continuar fazendo a produção do modelo Classic na unidade do interior paulista conhecida como linha da MVA (Montagem de Veículos Automotores) de São José dos Campos, que até então estava correndo o risco de ter os seus trabalhos encerrados e ser fechada.

De acordo com os termos previstos no acordo fechado no noite de ontem, os 940 trabalhadores que serão afastados ficarão sem trabalhar em regime de lay-off, que é aquele em que o contrato de trabalho é suspenso temporariamente. Isso deve acontecer até novembro, o que dará um toral de três meses e dez dias de afastamento. Durante esse período, os operários afastados vão receber uma bolsa do Fundo de Amparo ao Trabalhador, o FAT, e terão apenas uma parte do seu salário pago pela GM.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região disse que o acordo acabou sendo positivo para os trabalhadores. De acordo com as informações fornecidas pela entidade, 1.840 operários estavam correndo o risco de serem demitidos se o modelo Classic deixasse de ser produzido e a unidade de fabricação da General Motors de São José dos Campos fosse fechada.