Publicado em: terça-feira, 11/02/2014

Girafa é executada e causa polêmica

Morte de girafa causa polêmicaAconteceu ontem, domingo (9), em um zoológico da Dinamarca. Bengt Holst, diretor científico da instituição, argumentou que as girafas da instituição devem ser selecionadas para que, na hora da reprodução, apenas os melhores genes sejam herdados, evitando o cruzamento de animais consanguíneos e protegendo, a longo prazo, a sobrevivência da espécie.

Holst afirmou ainda que é uma prática responsável dos zoológicos gerenciar a reprodução de animais e garantir sua preservação. Contou o número de animais sacrificados no zoológico de Copenhague por ano oscila entre 20 e 30.

Ativistas e defensores dos animais acharam a atitude desumana. Várias instituições se ofereceram para receber Marius, uma girafa macho saudável e de apenas 2 anos de idade, e milhares de pessoas assinaram uma petição on-line tentando impedir a execução. O apelo foi inútil e todas as ofertas foram recusadas pelo zoológico dinamarquês. Para Holst, Marius não se encaixava em nenhum dos lugares oferecidos, que precisariam de uma girafa com importância genética maior, e ele também não sobreviveria novamente em seu habitat natural. Além disso, afirmou que a campanha para salvar a girafa foi longe demais.

Ao vivo

A execução de Marius aconteceu ontem, ignorando os protestos na porta do zoológico. Ele levou um tiro, para que sua carne não fosse contaminada e servisse de alimento a outros animais. A necropsia foi transmitida pela internet, e os visitantes do site (crianças, inclusive) puderam acompanhar ao vivo.

Milhares assistiram enquanto funcionários do zoológico arrancavam a pele de Marius, cortavam sua carne e serviam aos leões. Para Stenbak Bro, porta voz do zoo, quem deveria regular a transmissão e decidir se as crianças assistiam ou não eram os seus pais, e afirmou que o sacrifício da girafa propiciou às crianças uma compreensão de anatomia que não teriam apenas olhando uma girafa viva no zoológico.

(Com informações da BBC)