Publicado em: quarta-feira, 11/04/2012

Gilmar Mendes pretende julgar mensalão até julho

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu ontem que a Corte adie outros projetos da pauta para que seja julgado ainda neste semestre o processo do mensalão do PT. O ministro avalia que essa mudança nos procedimentos da Corte é válida, pois a aceleração da votação seria importante por dois motivos: no segundo semestre haverá eleições municipais em outubro e até o final do ano dois ministros devem deixar o STF. Segundo ele quanto antes for julgado melhor será para o STF.

Além disso, Mendes avalia que se o Supremo não votar o projeto este ano, será ruim para sua imagem. O ministro disse que é recomendável uma votação antecipada para este semestre. Além disso, ressaltou que o mensalão exige mais tempo dos ministros, fazendo com que outros julgamentos permaneçam temporariamente de lado. Além disso, Mendes disse que são muitos processos que chegam todos os meses e pelo menos 60 a 70 deles precisam ser julgados para que não haja tanta acumulação. Ele falou ainda que neste momento os ministros precisam trabalhar com atenção no mensalão, mas também precisam dar espaço para os outros processos que também são importantes.

O ministro chamou a atenção para o tempo do julgamento, já que são 38 réus no processo. A Procuradoria-Geral da República pediu que o STF que fossem condenados 36 dos 38 réus do processo. Só ficaram de fora Luiz Gushiken e Antônio Lamas, já que não havia provas suficientes contra eles. Mendes disse que sessões com duas sustentações já precisam de dedicação e energia dos ministros, então 38 será um grande exercício para a Corte. Essas declarações foram dadas pelo ministro durante a sessão solene em homenagem ao centenário do Santos Futebol Clube. Gilmar Mendes é torcedor do time e participou das homenagens.