Publicado em: segunda-feira, 05/12/2011

Gestão do SUS é discutida na Conferência Nacional de Saúde

Um dos principais temas debatidos no último dia da a 14º Conferência Nacional de Saúde, neste domingo (4), foram as formas de gestas do Sistema Único de Saúde (SUS). O serviço que é garantido de forma gratuita a todos os cidadãos brasileiros ainda não tem o desempenho esperados pelos profissionais da área de saúde e também pelos representantes civis.

A Conferência teve início na última quinta-feira (1) e contou com a presença de 3.212 delegados que representam os estados e municípios e buscam analisar novas propostas sobre os serviços oferecidos pelo SUS.

Uma das propostas mais debatidas durante o encontro é a proposta que determina que 100% da administração e oferta dos serviços sejam feitos pelo SUS e assim acabem com os serviços que acabam sendo terceirizados. Na avaliação da coordenadora da Conferência, Jurema Werneck, o SUS foi um dos principais focos de discussão uma vez que continua sendo o serviço de saúde mais utilizado e precisa oferecer a todos os pacientes o atendimento de qualidade. “A necessidade do SUS ser público. Esse é o compromisso dessa conferência”, avaliar.

Em sua fala, o presente do Conselho nacional de Saúde da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, Francisco Batista, a rede de atendimento provado tem atuado em um dos papeis que deve ser gerido pelo governo, especialmente no que diz respeito aos serviços especializados, como é o caso de atendimento a oncologia e cirurgia neurológicas e cardíacas.