Publicado em: sábado, 17/03/2012

George Clooney é solto depois de manifestação nos EUA

Nesta sexta-feira (16), o ator e diretor de cinema norte-americano, George Clooney, foi libertado depois que pagou uma fiança em Washington. Ontem, ele foi levado para uma delegacia algemado depois de ser acusado de invadir a embaixada do Sudão como forma de manifestação contra a crise humanitária do país no regime do presidente Omar al Bashir.

O ator, seu pai Nick e diversos outros ativistas se recusaram a deixar a região mesmo depois de três alertas da polícia local e, em decorrência da recusa, foram encaminhados para a delegacia algemados em uma van do Serviço Secreto. Clooney afirmou que o Sudão precisa de ajuda imediatamente para evitar que a situação piore, sendo que milhares de pessoas morrem de fome.

Protesto

O ator criticou o presidente do Sudão e disse que o governo tem que parar de matar seu povo. O protesto foi organizado pela National Association for the Advancement of Colored People (NAACP). Na manifestação também estavam presentes o presidente do grupo, Ben Jealous e Jim Moram, congressista democrata. Eles fizeram denúncias contra a violência, os bombardeios e a utilização de alimento como “arma de guerra”.

Clooney se tornou em um militante a favor das causas do país africano, e denunciou a crise humanitária da região de fronteira entre o Sudão e o Sudão do Sul. Na quinta-feira (15), o ator esteve em um encontro com o presidente norte-americano Barack Obama para discutir sobre o tema. Obama afirmou que irá se esforçar para que os pedidos de Clooney sejam alcançados.