Publicado em: sexta-feira, 03/01/2014

Genoino permanecerá no Distrito Federal até fevereiro

Genoino permanecerá no Distrito Federal até fevereiroEncarcerado desde novembro no domicílio de um parente afim em Brasília, o ex-deputado federal José Genoino (PT-SP) frustrou-se no experimento de ser mudado nos próximos tempos para São Paulo. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, deliberou nesta sexta-feira, 27, que Genoino deve continuar aonde permanece até o fim de fevereiro.

Nesta quinta-feira, 26, os defensores do político sentenciado por implicação com o mensalão apresentavam rogativa a Barbosa que liberasse a transferência dele para o domicílio onde habitam a esposa e os filhos, em São Paulo. O local, de acordo com os advogados, foi alcançado tem mais de 30 anos pelo remoto sistema BNH.

Contudo, o presidente do STF finalizou que o ex-deputado deve permanecer em Brasília até o final de fevereiro, quando sobrevirá por novo ajuizamento médico para averiguar se ele conseguirá ou não desempenhar pena numa cadeia. Com isso, o limite do cárcere domiciliar em Brasília constituirá de 90 dias. A disposição de Barbosa foi sancionada pela assessoria do tribunal, porém a proba não foi anunciada.

Na rogativa apresentada ao Supremo na quinta-feira, os defensores de José Genoino tinham informado que ele continha um parecer médico e testes pré-agendados em São Paulo no dia 7 e susteve que o ex-deputado está por espantoso favor na residência de um pródigo contraparente.

Os defensores somente asseguraram que o ex-congressista não permanece na residência da filha Mariana, que reside no Distrito Federal. Cativo em novembro em São Paulo, Genoino foi apresentado para Brasília unido com outros acusados no procedimento do mensalão.

O político ficou abaixo de sete dias no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília. Trocou o local depois rezingar de dificuldades cardíacas. Após de ter submetido por uma apreciação médica, foi liberado a exercer a pena em cárcere domiciliar.