Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Games do gênero de “Flappy Birds” tem o poder de viciar como drogas

“Flappy Birds” tem o poder de viciar como drogasEra para ser um joguinho de distração, para jogar durante intervalos quando se estivesse relaxado, entretanto não foi isso o que aconteceu. Um grande número de pessoas tem reclamado de se viciar nesse jogo, à modo que se estressam por não passar de fases e também não conseguem parar de jogar. O jogo criado pelo vietnamita Dong Nguyen, já foi até comparado com o crack, por ser viciante e pelos sintomas semelhantes causados por ele, como o estimulante do sistema nervoso central que chega com rapidez ao cérebro, causando euforia e logo uma sensação de irritabilidade. Segundo a psicóloga do Núcleo de Pesquisas de Psicologia em Informática da PUC-SP, ela diz que os mesmos mecanismos de vicio em jogos, funcionam de forma parecida com a do vício em drogas. No caso dos dois são ativadas as mesmas áreas do cérebro.

Os efeitos que são causados pelo jogo podem ser sentidos com rapidez logo após o uso e duram em média 5 minutos, o que leva o usuário a consumir o jogo em pequenos intervalos e a todo tempo, e para que ele se torne dependente não demora muito.

O produtor da DeNA, empresa japonesa de games móveis, Andew Sipotz, diz que Flappy Birds foi desenvolvido para ser como Angry Birds e Candy Crush, já tinha o intuito de ser viciante, são jogos simples e divertidos. Completa ainda dizendo que é por isso que faz sucesso, as pessoas se irritam mas não conseguem parar de jogá-lo.

Relação de amor e ódio

Um usuário, informa que no jogo encontra prazer com rapidez ao vencer um obstáculo, mas o problema acontece quando não encontra mais essa mesma recompensa, e por isso vai atrás dessa “recompensa” até consegui-la, e assim que começa a adquirir um comportamento destrutivo, porque sempre vive em busca desta sensação, até que possa sentir novamente.

Em pesquisas ao Youtube e Twitter é possível encontrar essa relação de amor e ódio que os usuários tem com o game. Há um vídeo no qual uma pessoa destrói o próprio celular com um martelo após morrer no jogo.