Publicado em: terça-feira, 12/03/2013

Futuro da tecnologia pode estar presente em dispositivos para vestir

Futuro da tecnologia pode estar presente em dispositivos para vestirNo futuro, as pessoas vão ter dispositivos tecnológicos em conjunto com o corpo, porém nada de pensar que será com um visual no estilo do policial do futuro “Robocop”. Os computadores que poderão ser utilizados são denominados em inglês como sendo wearables, que é uma classe de equipamentos que utiliza roupas e outros tipos de acessórios, e são objetos fashions, que se misturarão com peças encontradas no vestuário do dia a dia.

Dispositivos vestíveis estão sendo desenvolvidos por hackers e empresas em universidades, e chegam a causar um pouco de estranheza no visual, mas não é por ser muito fora do padrão das roupas, e sim por ter funções diferentes. O cofundador do Google Sergey Brin chamou a atenção no mês de janeiro quando desfilou pelo metrô de Nova York utilizando o óculos futurísticos da empresa denominado de Google Glass.

Porém isso vai ser alterado, pois os vestíveis serão normais, porém não deve ser populares. Esta categoria conta um problema em seu nome, pois os produtos de hoje em dia, em sua grande maioria, não podem ser utilizados, pois são desajeitados, não chegam a combinar e ainda demandam hábitos que as pessoas não têm, diz o executivo-chefe Sonny Vu da empresa Misfit Wearables. Vu diz que as pessoas não precisam atualmente carregar a bateria presente na camiseta, e ele questiona qual seria o sentido que as pessoas teriam para aprender a fazer isso.

Estes dispositivos vão tomar forma em óculos, pulseiras, calçados, relógios ou outras peças presentes no armário, uma coisa que já é vista em itens que estão sendo vendidos, como sensores Nike+, que estão embutidos em calçados de pessoas que querem correr.

Dessa maneira, fora os sensores que podem fazer o controle do metabolismo, como exemplo, o corpo vai ter presente câmeras, painéis que podem ser utilizados como monitores e realizar alertas de sons.

O cientista-chefe Rico Malvar do Microsoft Research diz que possam fazer isso, os dispositivos têm que ser aceitáveis socialmente. Ele cita o exemplo de um possível vestível da Rolex que está disfarçado em um relógio, entre outros produtos.