Publicado em: sexta-feira, 01/07/2011

Fusão Carrefour e Pão de Açúcar: BNDES continua a defender participação na união

A proposta de união entre o Carrefour e o Pão de Açúcar está gerando uma grande movimentação no mercado especulatório do Brasil. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) defendeu na última quinta-feira (30) a sua presença na participação de união entre os dois grupos. O resultado será a criação de uma marca gigante, dona de cerca de um terço do varejo nacional.

O vice-presidente do BNDES, João Carlos Ferraz falou a jornalistas em um evento no Rio de Janeiro que o projeto que será apresentado busca a criação e geração de valor para todos. “Isso vai gerar valor para nós e você sabe que metade do lucro do BNDES é derivado do BNDESPar, e nós vimos aqui uma bela oportunidade de geração de valor e empregos, que é a nossa missão”, afirma.

A participação do BNEDSPar será de 3,9 bilhões de reais na operação de união entre o Carrefour e o Pão de Açúcar. O empresário do Pão de Açúcar, Abílio Diniz, seria o responsável de incorporar a operação brasileira da companhia financeira. Com o anúncio, as ações do Pão de Açúcar seguem em alta na bolsa paulista .

A maioria dos integrantes do governo se mostra favorável a participação do BNDES, que tem controle federal, em uma operação empresarial de grande porte. Para o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernanda Pimentel, a união é de importância estratégica e representa a entrada de produtos brasileiros no exterior. A grande mudança foi a da Índia, que ocupou o quarto lugar, pertencente a Rússia, e a Turquia, que tirou a Itália da décima posição.