Publicado em: quinta-feira, 03/04/2014

Furnas ganha leilão por usina de Três Irmãos, e Eletrobrás projeta avançar na América do Sul

Furnas ganha leilão por usina de Três Irmãos, e Eletrobrás projeta avançar na América do SulO lance que venceu o leilão da hidrelétrica de Três Irmãos, em São Paulo, garantiu 10% de taxa de remuneração ao grupo vencedor da concessão, atingindo as expectativas do governo federal sobre as novas regras de renovação de concessões. A informação é da Eletrobrás.

A vencedora do leilão foi Furnas, subsidiária da Eletrobrás, que concorreu em conjunto com o fundo privado de investimentos Constantinopla. Não houve competidores na concorrência. O lance sem desconto oferecido pelo grupo em relação ao preço-teto garantiu a remuneração mínima de 10% para garantir operação e manutenção da usina.

O lance ofertado pelo grupo de investimento foi de R$ 31,6 milhões, que são referentes aos custos anuais de operação de Furnas. De acordo com a diretoria financeira da Eletrobrás, este valor pode ser superior ao necessário para manter e operar a usina, mas não foram dados detalhes a respeito.

A companhia, entretanto, afirmou que o foco será na estratégia de internacionalização, visando especialmente projetos na América Latina. Isso porque não há grande exploração da geração de energia hidrelétrica com países que fazem fronteira com o Brasil. De acordo com a Eletrobrás, apenas 25% do potencial hidráulico brasileiro é aproveitado com as nações vizinhas.

No exterior

Os trabalhos da companhia estão concentrados, neste momento, nos projetos da hidrelétrica Tumarin, na Nicarágua, e o de energia eólica de Rouar, no Uruguai. No primeiro caso, a Eletrobrás tem participação de 50%, assim como no projeto uruguaio, onde ainda deve entrar com outros investimentos na casa dos US$ 25 milhões. Há ainda um terceiro projeto com participação da companhia brasileira, no Peru, onde a empresa investe na unidade hidrelétrica de Inambari.

A Eletrobrás ainda reafirmou que não pretende vender as distribuidoras de energia que têm dado resultados insuficientes, mas que novos sócios podem ser buscados. Os problemas com os quais a companhia convive são decorrentes da adesão à renovação de concessões proposta pelo governo federal.