Publicado em: quarta-feira, 25/01/2012

Fundador do Megaupload tem liberdade sob fiança negada

O fundador do Megaupload.com, Kim Dotcom, teve sua liberdade sob fiança negada pela justiça da Nova Zelândia nesta quarta-feira (25), que deve continuar preso até 22 de fevereiro, enquanto autoridades da justiça norte-americana tentam conseguir a sua extradição para ser julgado nos Estados Unidos por pirataria em massa. O site prestava o serviço de compartilhamento de arquivos digitais, sendo que certa quantia do seu conteúdo contava com filmes e músicas.

O pedido de fiança foi apresentado por Dotcom, mas o juiz que analisou o caso, David McNaghton, rejeitou essa possibilidade. De acordo com ele, existe o receio do que poderá acontecer com Dotcom caso ele seja libertado antes do julgamento. McNaghton acredita que o fundador do Megaupload.com tem condições suficientes para conseguir uma identidade falsa e fugir. “Tenho certeza de que ele tem os recursos financeiros suficientes para obter uma identidade falsa ou documentos de viagens e conseguir transporte para fora do país caso ele decida assim fazer”, afirmou.

Além de Dotcom, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e o FBI indiciaram outras seis pessoas por acusações de “pirataria massiça online de diversos tipos de trabalhos com direitos autorais registrados, pelo Megaupload.com”. O prejuízo avaliado é de US$500 milhões para os detentores dos direitos autorais.

Com relação a Dotcom, as acusações dos Estados Unidos também incluem lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, o que poderia render 20 anos de prisão. Após a prisão de Dotcom, os seus bens foram confiscados e o site do Megaupload.com não estava mais disponível.