Publicado em: sábado, 15/06/2013

Funcionários e estudantes protestam na USP

Funcionários e estudantes protestam na USPFuncionários, professores e estudantes da Universidade de São Paulo (USP) fizeram um protesto no início da tarde desta sexta-feira, dia 14, em frente ao prédio da reitoria da universidade, em São Paulo. O objetivo era pressionar para que ocorra o reajuste de 11% nos salários, além da implantação de políticas que incentivem a permanência estudantil. Além disso, o grupo mostrou ser contra o Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp), implantado pelo conselho dos reitores que faz com que seja garantida a inclusão de indígenas, negros e alunos de escolas públicas nas universidades mantidas pelo Estado.

O Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), afirma que professores e alunos se reuniram com profissionais de uma empresa terceirizada que faz os trabalhos de limpeza em todo o campus. A reivindicação destes funcionários, que declararam greve, é que a USP pague os salários atrasados. Manifestantes organizaram um piquete na frente da reitoria para evitar que servidores entrassem no prédio.

O Sintusp afirma que, além de ser solidário com servidores que prestam serviço terceirizado, o sindicato também apoia o movimento organizado por alunos e docentes da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Eles deflagraram greve há nove dias como forma de cobrar melhores condições de ensino, salário, além de também criticar o projeto de cotas proposto pelo Pimesp.

Ainda na tarde desta sexta-feira, o sindicato não sabia precisar qual era o número de alunos e servidores que integraram a manifestação. A assessoria da USP, por sua vez, anunciou que os serviços administrativos, assim como as aulas na universidade, seguem de forma normal.

A USP ainda informou que o repasse à empresa terceirizada que faz a limpeza foi feito e dentro do prazo estabelecido e que a situação deveria voltar ao normal ainda na tarde desta sexta-feira.