Publicado em: sexta-feira, 09/03/2012

Forças do governo sírio matam mais 31 pessoas

Nesta sexta-feira (9) as forças do governo da Síria deixaram mais 31 pessoas mortas. Entre as vítimas estão 10 manifestantes que foram atingidos na cidade de Homs, local onde estão os opositores de Bashar AL-Assad, por tiros de morteiro. De acordo com informações do ativista Abu Imad, os disparos atingiram um protesto no distrito de Bab Houd. Ele disse ainda que a mesquita Al-Hanableh, em Bab Dreib, também foi atacada logo na saída dos fiéis, que faziam suas tradicionais orações.

Segundo o ativista Walid Fares, do bairro Khalidiya, quatro manifestações eram realizadas em diferentes localidades do distrito e ele afirma que recebeu informações de que todas foram atacadas por tiros de morteiros. Depois de alguns dias de calma, os bombardeios são retomados em um momento em que Valerie Amos, chefe humanitária da Organização das Nações Unidas (ONU) estava na cidade.

Relato de Valerie Amos

A chefe humanitária da ONU afirma que parte da cidade de Homs foi completamente destruída em decorrência dos ataques, que já têm quase um mês. Os bombardeios resultaram na fuga de rebeldes que estavam controlando o bairro de Baba Amr. Karam Abbu Rabea, morador de Homs, afirma que trinta tanques invadiram seu bairro nesta manhã com canhões que iriam disparar contra as casas dos sírios que da região.

Ele afirma que as pessoas tentam se proteger dentro das casas dos ataques e tiroteios em que são usadas granadas. Em outras partes da Síria, no entanto, as pessoas saíram nas ruas para se manifestarem contra o regime e os ataques nesta sexta-feira, depois de realizarem suas tradicionais preces islâmicas.