Publicado em: sexta-feira, 01/07/2011

Fluminense dá o braço a torcer e já admite saída de Conca para a China

Nada de Chelsea, Manchester United, Bayern ou Milan. Nem mesmo Arsenal, Benfica ou Inter de Milão. Muito menos Barça ou Real. O gigante do futebol mundial que tem, no momento, a faca e o queijo em mãos para levar para casa o craque do último Brasileirão é o Guangzhou Evergrande, da China. O desconhecido, para os brasileiros, clube chinês fez recentemente uma proposta extremamente sedutora ao jogador Conca, atual camisa 10 do Flu.

Depois de se tornar o grande nome da conquista do Campeonato Brasileiro de 2010 pelo Fluminense, o meia argentino foi sondado por europeus e sulamericanos como status de reforço de peso. O clube das Laranjeiras e a Unimed, principal patrocinadora, não mediram esforços para segurar Conca e contar com sua habilidade e técnica em campo na Libertadores desse ano. Com a eliminação para o Libertad-PAR e o insucesso no campeonato regional, restava a esperança de ter Conca para tentar o bicampeonato nacional.

No entanto, com apenas sete rodadas passadas, Cuca deve deixar o Brasil. O novo treinador tricolor, Abel Braga, mostrou-se desanimado perante a proposta chinesa. Mesmo se tratando de uma equipe inexpressiva mundialmente – e que deve dificultar ainda mais uma possível convocação de Conca para a seleção argentina -, a proposta é financeiramente muito boa. Abel chegou a cogitar a entrada do meia no grupo dos dez jogadores mais bem pagos do planeta.

O vice diretor de futebol das Laranjeiras, Sandro Lima, reiterou que clube e patrocinadores têm mãos atadas no caso. Sandrão, como é conhecido, disse que a decisão cabe a Conca, e que as possibilidades de segurá-lo esgotaram. O Guangzhou Evergrande fez uma proposta no valor de US$ 12 milhões – cerca de R$ 18,7 milhões. O dinheiro deverá ser repartido entre Fluminense, Unimed e Traffic.