Publicado em: sexta-feira, 02/05/2014

Filme ‘Getúlio’ mostra cenário da democracia em 64

Filme ‘Getúlio’ mostra cenário da democracia em 642014 é um ano eleitoral, mesma ocasião em que será lançado o suspense político ‘Getúlio’, o filme que conta a história de um dos mais marcantes presidentes na história do Brasil. O filme estreia nesta semana, expondo um cenário político de democracia no Brasil que se repete nos dias atuais.

Faltam poucos meses para a realização de uma eleição direta para a presidência do Brasil, sendo a quinta eleição depois da abertura política. O filme trás Alexandre Borges e Tony Ramos na trama, narrando os últimos dias de Getúlio Vargas, morto em 1954. O filme acaba sendo uma amostra de que atualmente, o jogo político no Brasil continua ainda nos mesmos moldes.

O filme revela ainda que a democracia atual é muito parecida com a anterior ao golpe de 1964. O diretor do filme afirmou que o cenário político do filme ocorreu há 60 anos, mas se repete hoje em dia e que pode ainda continuar se repetindo se a população não compreender de que forma se dá o processo político no Brasil.

O diretor ainda frisa que a participação popular no processo político democrático tem se restringido a votação, que ocorre a cada quatro anos apenas. Apesar da impressão, o filme não se trata de uma cinebiografia do presidente que dirigiu o país em dois diferentes momentos, ficando quase 20 anos no poder do país.

De acordo com o diretor, o filme é uma dramatização, com ares de suspense, de um período histórico muito intenso do país. O filme retrata o período político fixado em 19 dias de agosto do ano de 1954, que envolveu traições, escândalos e conspirações. O período retratado é entre o atentado sofrido pelo jornalista Carlos Lacerda até a data do suicídio do ex-presidente.

Tony Ramos vive o personagem central, Getúlio Vargas. De acordo com o ator, a história do filme nos convida a refletir sobre a política no Brasil e ainda ajuda a entender como os processos se dão.