Publicado em: quinta-feira, 27/02/2014

Filhos de pais mais velhos têm propensão de desenvolver doenças mentais

Estudo diz que filhos de pais mais velhos correm riscos de desenvolver doenças mentaisO mito de que as mulheres com mais idade podem gerar riscos à criança durante a gestação está cada vez mais derrubado. De acordo com um estudo sueco-americano divulgado na quarta-feira (26), os homens mais velhos também podem trazer riscos aos filhos, como por exemplo, o autismo, déficits de atenção e problemas psiquiátricos.

O estudo fez uma comparação entre análises realizadas com pais com 20 anos e com pessoas acima de 45 anos. A conclusão foi que quanto mais velho for o pai, mais propenso o filho está a desenvolver doenças mentais. Mostrando que há um risco em casos de pais com mais idade, algo que até então não era abordado pelos estudiosos.

As descobertas científicas foram publicadas na JAMA Psychiatry, um periódico da Associação Médica Americana. Desenvolvida com mais de dois milhões de suecos, a pesquisa apontou que filhos de pais mais velhos têm 13 vezes a mais de desenvolver doenças como déficit de atenção e serem hiperativos.

O pesquisador Brian D’Onofrio se disse chocado com os números apresentados, ele é o principal autor da pesquisa e professor de Psicologia e Ciências do Cérebro em Indiana (EUA).

Este é o primeiro estudo que relacionam a idade paterna com doenças, e os resultados foram alarmantes. D’Onofrio revela que não esperava dados tão preocupantes quanto às doenças e que a pesquisa servirá como base para mostrar que os homens mais velhos também podem prejudicar as crianças e não apenas as mulheres acima dos 40 anos.

Além das doenças já citadas, a probabilidade dos filhos cujos pais têm mais de 45 anos, o estudo aponta também que aumenta também a possibilidade desses filhos terem problemas com drogas, esquizofrenia e diminuição do coeficiente intelectual.

Tem sido bastante comum que os homens tenham filhos após os 45 anos, no entanto, os pesquisadores têm suas ressalvas quanto a idade e alertam para que os pais façam estudos regulares.