Publicado em: sexta-feira, 14/02/2014

FIFA prepara “plano B” caso Curitiba seja excluída da Copa

Copa do Mundo 2014O assunto ainda é tratado de maneira sigilosa, mas a FIFA já trabalha com a possibilidade real de que a Arena da Baixada não fique pronta a tempo de receber a Copa do Mundo. Sem nenhum outro estádio na capital paranaense que atenda às exigências da entidade, a única solução possível será excluir Curitiba da lista de sedes do Mundial, remanejando as partidas para outros estádios. E, o que antes parecia quase impossível de acontecer, agora se torna cada vez mais palpável. Em cinco dias, a FIFA analisará os avanços feitos na Arena da Baixada, para decidir finalmente se o estádio terá ou não condições de receber o Mundial.

Plano B

Enquanto não visita a Arena da Baixada, a FIFA já pensa em detalhes de um plano alternativo. O objetivo da entidade máxima do futebol é minimizar os prejuízos logísticos das equipes, que já escolheram suas sedes no país pensando exatamente nas partidas que disputarão. Desta forma, se tudo der errado, os jogos que aconteceriam em Curitiba serão remanejados para sedes próximas, muito provavelmente nas regiões sul e sudeste.

Ao todo, a capital paranaense receberá quatro jogos da fase de grupos da Copa do Mundo. Embora não fala publicamente sobre este plano B, a FIFA trata o assunto com urgência, pois a situação da Arena da Baixada tem sido considerada gravíssima.

Andamento das obras

O tempo hábil para a construção da Arena da Baixada é apenas um dos muitos problemas com que a administração do estádio terá que lidar. Mesmo que o estádio fique pronto a tempo da Copa, é preciso também realizar os eventos-teste obrigatórios para o Mundial. A FIFA acredita que, se a Arena ficar pronta em breve, estará em condições muito piores do que as apresentadas pela Arena Pernambuco no ano passado, durante a Copa das confederações.

Cobranças

No final de janeiro, a FIFA analisou a Arena da Baixada através de Charles Botta, consultor da entidade. Após o relatório, a entidade fez três exigências aos administradores da obra: primeiro, foi cobrado um grande avanço nas obras, além do aumento na quantidade de funcionários (em cerca de 40%) e, por fim, garantias financeiras de que a Arena da Baixada teria verbas para ser finalizada a tempo.

A última exigência foi resolvida nesta terça-feira. O governo do estado do Paraná solicitou um empréstimo de R$65 milhões ao BNDES, pois o Atlético-PR afirmou que tem dinheiro em caixa para cuidar da obra apenas até o fim deste mês. No momento, a FIFA prefere não falar publicamente sobre a situação. No dia 18, após o término do prazo dado para que as exigências sejam cumpridas, a entidade publicará uma nota sobre a situação do estádio.

Curiosamente, a Arena da Baixada era um dos estádios brasileiros mais próximos de atender às exigências da FIFA, antes do início das obras. Contudo, devido a falhas de planejamento e gestão, o estádio foi ficando para trás e, agora, é o único que realmente preocupa a FIFA.