Publicado em: quinta-feira, 24/01/2013

Ficha-suja ocupa presidência da Assembleia Legislativa de SP

Ficha-suja ocupa presidência da Assembleia Legislativa de SPA Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo vem sendo presidida desde o último sábado (19) Celso Giglio (PSDB), que teve sua candidatura para prefeito da cidade de Osasco barrada por causa da Lei da Ficha Limpa.

Giglio foi eleito vice-presidente da Assembleia no ano de 2011 e assumiu a presidência do Legislativo paulista durante o final da última semana, depois que o titular, Barros Munhoz (PSDB), pediu licença do cargo.

Giglio irá continuar na presidência até 26 de janeiro, e deverá representar a Assembleia durante a data de aniversário da cidade de São Paulo (25) e durante a visita da presidente Dilma Rousseff (PT) para o governador Geraldo Alckmin (PSDB) que ocorrerá na sexta-feira (25).

O tucano foi prefeito da cidade de Osasco em duas gestões, 1993 e 2004, e tentou chegar ao terceiro mandato no ano passado, porém não pode concorrer porque as contas da última gestão dele foram reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Câmara do município.

Giglio tentou reverter esta decisão, porém a Justiça Paulista e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmaram o impedimento. A ministra Luciana Lóssio que fez o relato do recurso no TSE diz que as condutas dele são graves e poderiam comprometer as finanças de Osasco. Ele aponta que as irregularidades nas contas eram formais e que a Câmara o injustiçou.

O nome de Giglio chegou a estar presente nas urnas eletrônicas, porém os 150 mil votos que ele recebeu não foram validados. Eles iam ser suficientes para que ele fosse ao segundo turno contra Jorge Lapas (PT), que contou com 138 mil votos e foi eleito.

Com esta derrota no mês de outubro, Giglio retornou à Assembleia. Há quatro dias está na presidência, e afirma que a alteração provisória no cargo muda pouco a rotina diária dele.