Publicado em: quinta-feira, 03/04/2014

Festival colombiano de teatro homenageia Brasil e deve ser visto por 3 milhões

Festival colombiano de teatro homenageia Brasil, e deve ser visto por 3 milhõesO Brasil será homenageado no 14º Festival Ibero-Americano de Teatro de Bogotá (Fitb), na Colômbia. Sete peças brasileiras serão levadas aos palcos do país, além de 14 produções nacionais que serão reinterpretadas por atores colombianos. Ao todo, mais de 3 mil artistas de pelo menos 25 países já confirmaram presença no Festival, que tem expectativa de movimentar 3 milhões de expectadores.

Na última edição do evento, em 2012, pelo menos 2,8 milhões de pessoas assistiram a peças e debates sobre teatro. O festival é sempre realizado a cada dois anos, tendo sido a primeira edição em 1988. De lá para cá, companhias teatrais de 50 países já passaram por Bogotá para apresentar seus trabalhos.

Entre as produções brasileiras que serão apresentadas no Festival Ibero-Americano de Teatro de Bogotá está a peça “Gonzagão – A Lenda, de João Falcão”, que será exibida na abertura do evento, na próxima sexta-feira (4). Além deste trabalho, “Maravilhoso”, de Diogo Liberano também será levado ao público.

Completam a lista de apresentações brasileiras as peças “Amores Surdos”, de Grace Passô, “O Jardim, de Leonardo Moreira” e “Till – A Saga de um Herói Morto”, interpretada pelo grupo Galpão. O clássico “Toda Nudez Será Castigada”, de Nelson Rodrigues, também terá uma montagem exibida, assim como uma adaptação de “Dama do Mar”, de Susan Sontag.

Legado

Para a ministra da Cultura, Marta Suplicy, esta é uma oportunidade incrível de fazer com que o teatro brasileiro ganhe maior visibilidade no exterior, graças à apresentação de 14 textos nacionais. Ela ainda salientou o valor de transferência cultural criado ao ter atores colombianos interpretando personagens brasileiros nas peças.

Marta estará presente na abertura do evento, representando o Ministério da Cultura (MinC), que oferece apoio às peças que serão apresentadas por brasileiros no festival, assim como o Ministério das Relações Exteriores. As duas montagens, se Nelson Rodrigues e Susan Sontag, terão apoio do Serviço Social do Comércio (Sesc).