Publicado em: sábado, 05/04/2014

Fernanda Montenegro conta que foi ameaçada de morte na ditadura

Fernanda Montenegro conta que foi ameaçada de morte na ditaduraA consagrada atriz Fernanda Montenegro está com 84 anos de idade e revelou que já foi ameaçada de morte. Além disso, a janela de seu quarto foi estilhaçada por uma bala. Tudo isso aconteceu na época do golpe militar, que aconteceu no ano de 1964. A atriz afirma que não é fácil para as pessoas que trabalham no meio cultural relembrar os fatos desse momento histórico no Brasil.

Nos anos seguintes ao golpe, os artistas perderam a liberdade e ficaram limitados para se expressar. De acordo com a atriz, a censura era cruel tanto nas esferas municipal, quanto estadual e federal. Durante cerca de 20 anos, os artistas ficaram nas mãos dos homens que estavam no poder da censura.

Houve proibição da peça de nome “A volta ao lar”, do autor Harold Pinter. A obra já tinha sido apresentada nos palcos da cidade do Rio de Janeiro pelo período de dez meses, mas não foi aceito em São Paulo. Quem fez a proibição foi o coronel, que ficava em Brasília. Foi ele quem explicou a Fernando Torres que qualquer documento com a cor do papel a qual ele havia recebido significava que a decisão era irrefutável.

O texto dos espetáculos sofriam cortes, mas o principal problema eram nos ensaios. As peças suspensas e o elenco desempregado. Além disso, os produtores se endividavam e era preciso começar do zero. Fernanda Montenegro diz que qualquer ato criativo, como a música popular e o teatro, eram bloqueados.

A atriz conta que por vezes os artistas recebiam advertência de que a censura de uma obra não poderia ser divulgada. O que saía na imprensa era somente que o espetáculo tinha sido adiado.

Fernanda Montenegro considera que ela e os colegas foram bastante corajosos e audaciosos. O mais ficou na memória da atriz foram a cena do Comando de Caça aos Comunistas (CCC) ao invadir um teatro e espancar os atores.

Além desse momento, Fernanda se lembra também da prisão de Gilberto Gil e Caetano Veloso. As ameaças de morte a Fernanda vinham por meio de telefonemas anônimos. Ela iria sofrer um atentado enquanto estivesse em cena. Outro vez, uma bala foi atirada contra o vidro do quarto em que Fernanda estava. Um carro saiu pela rua rapidamente.