Publicado em: quarta-feira, 28/03/2012

Favelas do Rio de Janeiro são ocupadas pelo BOPE

Durante a manhã de terça-feira (27), os soldados do Batalhão de Operações Especiais (Bope) iniciaram a ocupação no Conjunto de Favelas do Alemão, localizado na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. A ação é uma estratégia que faz parte da acomodação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) neste local. Desde o final do ano de 2010, a região está tomada por militares da Força de Pacificação e estima-se que os homens do Exército acabem sendo substituídos por policias militares.

De acordo com as informações da Secretaria de Segurança, as primeiras bases deverão ser instaladas entre a quarta-feira (28) e a quinta-feira (29). Sendo uma delas na Nova Brasília e outra na Fazendinha. Os índices apurados no Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que 69.143 mil pessoas vivem no Conjunto de Favela do Alemão, e somente na Nova Brasília moram 16.185 delas.

Segundo o coronel Fernando Fantazzini, relações públicas da Força de Pacificação, irá ser feito um apoio à chegada da polícia no Alemão, além do apoio que for preciso para que “essa primeira fase de implantação das UPPs se realize de maneira coordenada, pacífica, de forma transparente dentro do princípio de cooperação”.

Ele falou também que o Exército vai continuar em locais onde a policia militar ainda não chegou, incluindo a Serra da Misericórdia, uma das rotas de fuga utilizada por traficantes na ocupação da comunidade pelas Forças de Pacificação que aconteceu em 2010. “Nós vamos continuar mantendo as posições onde a PM não estiver entrando”, garantiu.

Por sua vez, a Polícia Militar pede que a população colabore e explica que a ação é de varredura. “Nosso desafio é dar continuidade a um trabalho extraordinário feito pelo Exército brasileiro. Nós iniciamos a partir de agora a pavimentação desse caminho para a implantação das UPPs”, falou o coronel Frederico Caldas frisando que o Bope e o Choque estão com grandes expectativas com relação a integração com a comunidade.