Publicado em: sexta-feira, 14/03/2014

Fãs, atores e a família se reúnem no velório de Paulo Goulart, no Theatro Municipal

Fãs, atores e a família se reúnem no velório de Paulo Goulart, no Theatro MunicipalNesta quinta-feira, dia 13, faleceu o ator Paulo Goulart. Ele estava com 81 anos e o seu velório aconteceu no Theatro Municipal de São Paulo, no centro da cidade. A família, colegas de profissão e fãs se reuniram no local para o último adeus. O velório foi aberto as 23h30 e segue até as 13 horas do dia seguinte. O corpo será sepultado no Cemitério da Consolação, também em São Paulo.

A fila começou se formou por volta das 22 horas. Paulo Goulart atuou em 23 novelas e participou de 25 peças teatrais. Entre os famosos no local estava o ator Juca de Oliveira, que não considera que se despediu para sempre do colega, mas um até, acreditando que eles vão se reencontrar em breve. Segundo Juca, Paulo Goulart era um ator que se destacava por ser excepcional, pois quando chegava tudo melhorava e sente que eles sempre estavam juntos.

Paulo Goulart iniciou a carreira na adolescência e acabou conseguindo destaque após trabalhar nas novelas Plumas e Paetês, de 1980, Roda de Fogo, de 1986, O Dono do Mundo, em 1991. Dentre os filmes que ele atuou estão Rio Zona Norte, de 1957, O Grande Momento, lançado no ano seguinte, e Gabriela, Cravo e Canela e Para Viver um Grande Amor, ambos 1983.

Seu nome de nascimento na verdade era Paulo Afonso Miessa e pegou o Goulart emprestado do tio, um radialista que se chamava Airton Goulart. Ele começou a trabalhar como operador e locutor na rádio de seu pai, fundada na cidade de Olímpia, no interior do estado de São Paulo. Porém, antes de se tornar artista, ele foi estudante de química industrial. O ator dizia que gostaria de ter uma segundo opção, pois na época o rádio era algo que deixa em evidência, mas não era um trabalho reconhecido.

Goulart se candidatou para trabalhar como locutor na Rádio Tupi, em São Paulo, onde ficou em segundo lugar. Apesar de ter poucos conhecimentos técnicos, ele acabou sendo contratado graças a ajuda do ator de rádio Oduvaldo Vianna. Ele teria sido a primeira pessoa que percebeu o talento de Paulo. Na época, ele estava quase completando 18 anos, em 1951, quando a televisão brasileira começava a engatinhar e ainda sobrevivia às custas do rádio.

O primeiro programa que fez na televisão foi ao lado do lendário Mazzaropi. Um ano mais tarde, ele conheceu Nicette Bruna, a atriz com quem contracenou em sua primeira peça. Os dois acabaram se casando em 26 de fevereiro de 1954. Na união nasceram, Paulo Goulart Filho, Beth Goulart e Bárbara Bruna, que também se tornaram atores.