Publicado em: quarta-feira, 08/10/2014

Família de Lampião nega informação de homossexualidade exposta em livro

Família de Lampião nega informação de homossexualidade exposta em livroUma grande tensão está ocorrendo entre a família de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião e Pedro de Morais, o autor de um livro sobre a vida do cangaceiro. Com o título “Lampião, o Mata Sete”, o livro traz em seu conteúdo a informação de que Lampião teria mantido relações com outros homens, além de que Maria Bonita era uma mulher adúltera e que sua herdeira direta, Expedita Ferreira Nunes, não é na verdade filha legítima dele. A biografia teve sua comercialização proibida em 2011, mas voltou a circular na última semana.

O advogado Wilson Wynne é representante de Expedita e sua neta, Vera Ferreira, e garante que as informações expostas no livro são mentirosas e não contam com qualquer base de estudo. Ainda de acordo ele, não existe nenhum documento que prove que o autor da obra realizou algum estudo ou pesquisa ou mesmo de onde as informações foram retiradas. O advogado garante que não haveria nenhum problema em Lampião ser homossexual, o problema é que se trata de uma informação mentirosa, com a garantia da família. Os familiares de Lampião pretender entrar com um recurso no STF na tentativa de proibir a comercialização da biografia novamente.

A liberação para venda foi decidida pelo desembargador Cezário Siqueira Neto, da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Sergipe. Ele defende que a decisão se ampara no direito à liberdade de expressão, com base em outras decisões recentes do STF. Ele lembrou ainda que a autora da ação pode usar de meios legais para desmentir as informações, mas que impedir o direito de expressão do autor seria entendido como censura, ainda mais por se tratar de uma figura pública, como Lampião. O autor da obra, em um trecho que usou em sua apelação, lembrou que houve até discussões sobre o fato de Jesus ter ou não se envolvido com uma mulher, e que não faria sentido a proibição da discussão sobre Lampião ter tido ou não um homem.