Publicado em: quarta-feira, 21/03/2012

Família de estudante morto na Austrália contrata advogados para investigação paralela

Nesta terça-feira (20), a família do estudante Roberto Laudisio Curti, de 21 anos, tentava trazer o corpo do jovem para o Brasil. O rapaz foi morto na madrugada de domingo na Austrália por policiais que acreditavam que ele tenha roubado uma loja de conveniências. As irmãs de Roberto decidiram contratar advogados australianos para realizarem uma investigação a parte da polícia, pois elas querem sabem onde estão as gravações das câmeras de segurança da loja e das ruas próximas do local onde o irmão foi morto.

A família da vítima também deseja saber os motivos pelos quais não puderam ver o corpo do jovem antes da autópsia ser feita. A gravação feita pela câmera de segurança da loja de conveniência foi publicada pelo jornal australiano “Sydney Morning Herald”. As imagens mostram seis policiais perseguindo uma pessoa. Os amigos da vítima afirmaram para o Consulado-Geral brasileiro em Sydney que o homem do vídeo é diferente de Roberto.

Pistas

A vendedora da loja disse que o jovem “parecia perturbado” e que manteve uma longa conversa com ela. A vendedora contou também que ele disse que o mundo iria acabar. Após isso, pegou um pacote de biscoitos e saiu da loja correndo. Ela afirmou que o jovem não estava usando camisa, fato contrário ao noticiado pelos jornais de Sydney na segunda-feira (19). As publicações afirmaram que Roberto estava usando uma camisa branca de manga curta.

A namorada da vítima, Jeanne Berringer, afirmou em entrevista ao Bom Dia São Paulo que Roberto queria voltar para o Brasil. O estudante foi para a Austrália estudar inglês em junho do ano passado, e também trabalhava em Sydney como garçom. O Ministério das Relações Exteriores brasileira divulgou uma nota em que presta condolências à família de Roberto e afirma que possui toda confiança nas autoridades australianas para a apuração dos fatos.