Publicado em: quinta-feira, 24/01/2013

Falta de chuvas vai aumentar valor da conta de luz de usuários

Falta de chuvas vai aumentar valor da conta de luz de usuáriosMesmo com as tarifas energéticas reduzidas a partir de fevereiro, quando começa a valer a prorrogação de contratos da concessão, o consumidor vai ter que arcar com custo novo presente nas contas de luz que é o risco hidrológico.

Este termo técnico significa o gasto extra que acontece principalmente nas épocas em que ocorre a seca, e a produção das usinas hidrelétricas reduz e faz com que a empresa seja obrigada a adquirir energia por outros tipos de mercado, que não tem custos regulados, para que assim possam honrar os compromissos que elas têm junto aos clientes.

Nos antigos contratos, as empresas contavam com uma remuneração maior devido ao serviço prestado. E por causa disso, ficava ao cargo das próprias empresas fazer o pagamento do para compra de energia caso existisse dificuldades para que os compromissos fossem cumpridos.

Já com a renovação de concessões, a tarifa vai reduzir cerca de 20% em média, conforme compromisso fechado com o governo, mas o consumidor vai passar a assumir a conta maior caso seja necessário que seja adquirida uma quantidade maior de energia através desse mercado livre.

A alteração vai começar a valer no do dia 5 de fevereiro, quando vai ocorrer a revisão das tarifas extraordinárias de distribuidoras. Durante esse dia o consumidor vai ter uma ideia de qual será o em tarifas para o próximo mês. Caso haja necessidade de que ocorra aumento de estrutura ou de um novo investimento, o consumidor vai ter que bancá-lo. Antes disso, a Aneel vai ter que avaliar se o projeto vai ser realmente necessário.

Até agora não há um cálculo estimado que o impacto deste chamado risco hidrológico ou dos investimentos elétricos terá sobre as tarifas, o consumidor só vai saber o valor deste reajuste a cada ano, com revisões de tarifas.