Publicado em: segunda-feira, 10/03/2014

Falta de chuvas altera planejamento financeiro para o setor elétrico brasileiro

Falta de chuvas altera planejamento financeiro para o setor elétrico brasileiroO Planalto declarou que o Tesouro Nacional antecipará R$ 1,2 bilhão para cobrir a alta nos custos das distribuidoras de energia elétrica em janeiro, gerada pelo acionamento das usinas termelétricas. Apesar do alívio gerado às distribuidoras, a medida não elimina o problema uma vez que o valor real da necessidade, apenas do mês de janeiro, é de o dobro desse valor.

O repasse vai acontecer através da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Para garantir a cobertura do montante, segundo os ministérios de Minas e Energia e da Fazenda, o Tesouro Nacional vai antecipar recursos que já estavam previstos no Orçamento da CDE para 2014, que totalizam R$ 9 bilhões.

A previsão inicial é que tais recursos do orçamento cobrissem outras responsabilidades da CDE ao longo do ano que não o maior custo da energia de curto prazo. O resultado fiscal do setor público deve sentir o impacto direto deste desembolso antecipado, o que pode prejudicar a corrida do governo federal em busca de uma recuperação na credibilidade da política fiscal brasileira.

Porém, a antecipação desta verba evita que a elevação dos custos na transmissão de energia seja repassada diretamente para as faturas dos consumidores, evitando assim que a inflação fique ainda mais acima da meta do que já está. A ação, segundo nota oficial, deve ser formalizada “com a brevidade que o caso requer”, podendo ser definidas antes de 9 de abril.

Valores podem continuar subindo

Como o prazo para as distribuidoras realizarem aporte de garantias das operações de janeiro, junto à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), vai apenas até a próxima terça-feira (11), este adiantamento já era esperado.

A estimativa realizada por especialistas do setor aponta para custos acima dos R$ 18 bilhões para as distribuidoras no ano, caso o preço da energia se mantenha com os atuais índices de alta.