Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Falsificador de vinhos é preso nos EUA por dar golpe de milhões de dólares

Na última semana, um milionário indonésio, conhecido como um dos maiores e principais colecionadores de vinhos raros, foi detido em Los Angeles, nos Estados Unidos, de acordo com informações do site de notícias norte-americano “The Huffington Post”. Rudy Kurniawan, de 35 anos, está sendo acusado por enganar outros colecionadores. Ele teria vendido garrafas falsificadas da bebida em um total de US$ 1,3 milhão, equivalente a R$ 2,4 milhões.

As suspeitas iniciais sobre a falsificação de Kurniawan apareceram em 2007. O episódio aconteceu em uma casa de leilões, que afirmou que os vinhos comercializados pelo milionário indonésio no evento eram falsificados. Mais tarde, em 2009, William Koch, iatista e bilionário norte-americano, abriu um processo contra o indonésio, dizendo que várias garrafas compradas de Kurniawan não eram verdadeiras.

As suspeitas não pararam por aí. No ano de 2006, um perfil de Kurniawan feito pelo jornal “Los Angeles Times”, afirmava que o milionário teria comprado US$ 35 milhões (equivalente a R$ 63,7 milhões) na bebida somente aquele ano. A reportagem publicada pelo jornal ainda dizia que Kurniawan teria desembolsado mais de US$ 75 mil (R$ 136,6 mil) em apenas uma garrafa.

Erros simples

De acordo com os investigadores do caso das falsificações, Kurniawan não foi esperto o bastante em algumas situações, e cometeu alguns simples erros, que culminaram em sua descoberta. Entre as falhas cometidas pelo falsário está uma tentativa de venda feita em 2008. Kuniawan queria vender um vinho Domaine Ponsot que teria sido fabricado em 1929. No entanto, o engarrafamento da bebida só começou a ser feito pela vinícola em 1934.