Publicado em: sexta-feira, 12/04/2013

Faculdades pequenas querem avaliação diferente do MEC

Faculdades pequenas querem avaliação diferente do MECProprietários de universidades de pequeno e médio porte estiveram reunidos na sede do Ministério da Educação, em Brasília, nesta última terça-feira com intuito de promover maior atenção por parte do governo. Eles reivindicam avaliações direcionadas às instituições de ensino deste porte, além de uma cota maior do Fies (Financiamento Estudantil). De acordo com o Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo) o ensino particular já pleiteia 59 % da fatia deste mercado.

Os empresários da educação salientam que as instituições de ensino privado deveriam ser avaliadas de acordo com seu contexto, e que os conceitos baixos a elas destinados, por não cumprirem as exigências de formação de professor que devem ser mestres ou doutores, não são fatores suficientes que impeçam uma boa qualidade de ensino de uma universidade, faculdade.

Maior participação no Fies também estão entre as solicitações, pois quanto mais oportunidades e facilidades de pagamento as universidade oferecem aos alunos, maior será a adesão de matrículas ano a ano. A justificativa do governo é a de que a instituição precisa de avaliação positiva. A concorrência com as de grande porte também é a causa de muitos desistirem e abandonarem o segmento.

O MEC em nota informou que não alterará o sistema de avaliações para estas unidades de ensino superior de pequeno e médio porte. No ano passado, as faculdades que pelo segundo ano não obtiveram boa pontuação, tiveram seus vestibulares cancelados, além de deixarem de ter acesso às bolsas que o governo disponibiliza como Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), também foram eliminados do Financiamento Estudantil (Fies).