Publicado em: quarta-feira, 15/08/2012

Facebook suspende página de “Mães de Maio”

Facebook suspende página de “Mães de Maio”Nesta terça-feira (14), o movimento “Mães de Maio”, contra a violência da polícia, teve sua página suspensa pela rede social Facebook, o que causou a revolta dos simpatizantes e seguidores. Mais de 1,4 mil internautas compartilharam uma mensagem sobre a suspensão da página até a noite de ontem. Ao final da tarde a página finalmente voltou para a rede social.

O Facebook, por sua vez, afirmou que não irá comentar sobre os casos, que são específicos para os seus usuários. A companhia afirmou também que se a página do grupo foi suspensa temporariamente é porque não cumpriu com algum dos termos de uso determinados pelo site ou teve algum de seus conteúdos denunciados pelos próprios usuários. Os responsáveis da página não divulgaram se algum conteúdo foi denunciado ou termo foi descumprido.

Censura

A líder do grupo, Débora Maria da Silva, acredita que o bloqueio temporário da página no Facebook foi uma censura contra o movimento. Ela afirma que o fechamento aconteceu por uma perseguição e forma de repreender as “Mães de Maio”. Débora diz que não desejam que o grupo mostre para o Brasil que sua polícia é assassina e que extermina as comunidades. Ela acrescenta falando que o grupo incomoda porque denuncia.

O grupo “Mães de Maio” foi criado por aproximadamente 70 mulheres que acreditam que a Polícia Militar é a grande responsável, direta ou indiretamente, pelo assassinato de seus filhos. O momento solicita a desmilitalização dos agentes e a criação de uma polícia que dê apoio para as famílias que perderam seus entes devido à violência. Várias mortes são registradas como “resistência” e não homicídio.