Publicado em: quinta-feira, 12/01/2012

Facebook foi ferramenta para investigações em 2011

Para não ficar de fora da tendência do início de um novo ano, o Facebook também fez uma retrospectiva de 2011. Nesse caso, porém, a rede social selecionou dez casos envolvendo a ferramenta que geraram problemas para os seus usuários. O uso do Facebook em determinadas situações fez com que internautas fossem presos, demitidos, ou confessassem algum crime identificado pelas publicações na rede social.

Um dos casos diz respeito ao jovem de 25 anos, Sean Duffy, que chegou a ser preso por conta de um comentário postado na rede social. Em setembro, o internauta acessou uma página que havia sido criada por familiares para homenagear a adolescente Natasha MacBryde, de 15 anos, que cometeu suicídio. Nessa ocasião, Duffy chamou a garota de prostituta. Quando acusado, Duffy respondeu também por outros comentários que havia escrito sobre outros jovens. O britânico recebeu a pena de 18 semanas de reclusão.

Também no mês de setembro, um ladrão nos Estados Unidos postou fotos do dinheiro que conseguiu com a sua operação e foi preso pela polícia. Além das imagens, o ladrão também inseriu legendas dizendo “o crime paga as minhas contas”. No caso de Woody Borgella, de 29 anos, a publicação de um trecho de uma música que falava sobre assassinato fez com que ele se tornasse o principal suspeito do homicídio da sua namorada.

Outra situação garantiu que a família de uma moça voltasse a sentir tranquilidade. Depois de passar meses desaparecida, a jovem norte-americana enviou uma mensagem pelo Facebook à sua mãe para dizer que estava grávida no México.