Publicado em: quinta-feira, 06/09/2012

Facebook – Ato convocado pela rede Social reúne estudantes de todo o país pela qualidade da educação pública

Facebook - Ato convocado pela rede Social reúne estudantes de  todo o país pela qualidade da educação públicaDepois de uma convocação feita pelo Facebook, estudantes de todo o Brasil devem sair às ruas nesta quinta-feira(6) reivindicando mais qualidade na educação pública. A “Mobilização Geral dos Estudantes Brasileiros” é um evento organizado exclusivamente através da rede social e mais 27 mil pessoas aderiram ao movimento e confirmaram presença.

O ato deve acontecer de forma simultânea em 33 cidades de todas as regiões do país. Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis e São Paulo estão na lista de cidades que participarão da mobilização. Nesta última cidade, a concentração começa às 14 horas no vão livre do Masp. Somente na capital paulista, mais de 442 jovens já confirmaram presença na passeata.

Os estudantes que não têm a passeata organizada em sua cidade, também foram convidados a participar do evento seguindo orientações repassadas previamente pelos organizadores.

A ideia da mobilização acerca vários assuntos referentes à educação seja básica ou superior. As reivindicações buscam maior qualidade de ensino nas instituições públicas, além da destinação de 10% do PIB para a o setor educacional já a partir de 2013. Os estudantes ainda pedem que o Governo Federal atenda às solicitações dos professores federais em greve, a implementação do ensino integral e a adoção de outros materiais didáticos que não as apostilas desenvolvidas pelo Ministério da Educação (MEC).

No perfil do ato de convocação disponibilizado no Facebook, os organizadores afirmam não serem ligados a partidos políticos nem, tampouco, a instituições de ensino infantil. Na descrição, os organizadores se apresentam apenas como estudantes.

MARCHA EM BRASÍLIA

A destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do País para a educação também resultou em outra manifestação. Trabalhadores da educação foram ao Distrito Federal, onde participaram de uma Marcha em prol da educação e do piso do magistério.

A legislação atual determina que o piso salarial dos profissionais da educação deve ser corrigido com base no percentual de crescimento do valor mínimo do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

A manifestação ficou concentrada em uma das principais vias de acesso no centro da Capital Federal. De lá, os professores partiram para o Congresso Nacional onde representantes participam de uma reunião com a ministra da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, e com o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-R).

Dentre as reivindicações dos manifestantes estão outros assuntos como a suspensão do decreto 7777/12 que, em caso de greve de servidores federais, passa as atribuições da administração pública federal para os governos estaduais e municipais.