Publicado em: terça-feira, 03/06/2014

Facebook anuncia compra de empresa que permite acesso a aplicativos sem necessidade de plano de dados

Facebook anuncia compra de empresa que permite acesso a aplicativos sem necessidade de plano de dadosO Facebook, que é a rede social com mais pessoas em todo o mundo, parece estar mesmo investindo em tecnologias para manter as pessoas conectadas, mesmo em países subdesenvolvidos.

Desta vez a rede social de Mark Zuckeberg fez o anúncio de compra da empresa Pryte que é da Finlândia e tem como principal ideal disponibilizar aplicativos para usuários de telefonia móvel que vivem em países em desenvolvimento, os valores da transação não foram tornados públicos pelo Facebook, a porta voz da rede social, Vanessa Chan declarou que os termos financeiros devem ser encerrados ainda neste mês.

O serviço da empresa Pryte tem como principal objetivo fazer com que as pessoas que não tenham planos de dados ou assinatura com as operadoras possam aproveitar conteúdos de aplicativos como o Facebook através de um prazo pré estabelecido, estes serviços ainda não são disponibilizados ao público.

Segundo Vanessa o principal interesse do Facebook na aquisição da Pryte, está em sua equipe que tem a liderança feita pelo presidente executivo Markku Mäkeläinen, a Pryte tem apenas um ano de existência e tem sua sede em Helsinque e tem experiências e trabalhos com operadoras de telefonia móvel, em especial em mercados que estão emergindo, de acordo com a porta voz do Facebook.

A empresa Pryte conta ao todo com 30 funcionários e ainda não há informações sobre definicioes de quem irá permanecer ou não na empresa, após essa aquisição realizada pelo Facebook, esse acordo firmado entre as duas empresas só reforça os esforços do Facebook para dedicar a todas as pessoas o acesso à internet, mesmo em países ainda em desenvolvimento.

O Facebook já realizou alguns acordos com operadoras de telefonia móvel para que mesmo as pessoas sem plano de dados tenham acesso grátis a rede social e também está investindo na aquisição de drones e na construção de satélites para que os sinais de acesso à internet chegue em áreas ainda remotas do mundo.