Publicado em: quarta-feira, 25/07/2012

Fábricas chinesas que fazem mascotes olímpicos são acusadas de trabalho infantil

Os mascotes geralmente são os símbolos que caracterizam uma Olimpíada. Eles animam a festa, principalmente as crianças, e decoram os ambientes olímpicos dando mais descontração. No entanto, nos Jogos de Londres 2012, os bonecos estão preocupando as autoridades. Uma ONG de Hong Kong afirma que as fábricas que estão produzindo os mascotes violam os direitos trabalhistas.

De acordo com a Organização Estudantes e Professores Contra as Más Condutas Corporativas, ONG situada em Hong Kong, as três fábricas da China que estão fazendo a fabricação dos mascotes olímpicos de Londres tratam de maneira inadequada seus funcionários. Segundo as acusações feitas pela ONG, as fábricas obrigam os trabalhadores a terem jornadas em excesso e eles não possuem contrato.

Trabalho infantil

Além disso, os funcionários recebem salários muito baixos pelo que trabalho. E, o que é mais grave ainda, as fábricas utilizam mão de obra infantil para fabricarem os mascotes olímpicos. Segundo as informações da ONG, as empresas fazem colaboração direta com o Comitê Olímpico de Londres e desrespeitam o código ético para a confecção dos produtos.

A ONG afirma que os funcionários trabalham de 11 a 12 horas diárias durante seis dias na semana. Os trabalhadores são expostos a substâncias tóxicas, totalizam mais de 120 horas extras por mês e, caso se atrasem para trabalhar, recebem uma multa ou perdem metade do salário. Nas Olimpíadas realizadas em Pequim, em 2008, as fábricas da China receberam as mesmas denúncias.